Ennis Alfredo Meier, fabricou vários transceptores Single Side Band para a Agência Nacional, através da firma "Trans-Ennis". (orgão do governo João Goulart, extinto pelo regime militar de 64)

Embora tivesse respondido a um Inquérito Policial Militar, (denominado "Comissão IPg da Rádio Nacional") comandado pelo Coronel Turola, não teve nenhuma acusação, nunca foi preso pelo exército, ou sofreu qualquer constrangimento.

O Inquérito aconteceu em duas ocasiões, na antiga séde do Ministério da Justiça, na rua México, no Rio de Janeiro.

A estação do Rio de Janeiro, instalada na Rua Joaquim Meier, na casa do pai de um funcionário da Agência Nacional, encontrava-se inoperante pela queima de um transformador.

No dia 31 de março de 1964, Ennis Meier, (o técnico e fabricante) sem a menor idéia da situação política brasileira,  foi na estação da rua Joaquim Meier, trocar o transformador, pelas 3 horas da tarde.
A troca do transformador durou cerca de 1 hora e em seguida chamou a estação do Porto Alegre. --- na primeira chamada, voltou Porto Alegre, que deveria estar na escuta e foi logo dizendo:
---"Tem um pedido do governador Brizola, para colocar a rê
de à disposição dele ?"
 

Ennis respondeu:
--- "Eu aqui sou técnico e não mando nada, falem diretamente com a direção, atravês do FONE-PATCH"

A solicitação foi repetida, e a resposta foi:

--- "Por enquanto não".

Semanas mais tarde, através de um encontro na rua, soube pelo diretor técnico que a transmissão do dia 31 de março, tinha sido gravada pela escuta do exército.

A resposta do técnico Ennis Meier, foi providencial e o livrou de grandes complicações com o exército. (um àlibe perfeito)

Não obstante, todo o problema encontrado pelo Ennis Meier, foi atravéz de um Delegado do DOPS, lotado no Serviço Nacional de Informações, "SNI" :  WILSON OACYL BODSTEIN.

Esse delegado, um velho conhecido do pai do Ennis, de Cuiabá, que frequentava o sítio do Ennis na subida de Petrópolís, que estava mais interessado na mulher do Ennis, que com ela se casou 10 anos mais tarde.

Resumindo uma longa história, no dia 11 de maio de 1972 o delegado prendeu Ennis e o Interenou em hospital psiquiàtrico.

Vinte dias depois, a mulher do Ennis era empregada pelo DOPS como INFORMANTE.
(Veja a carta do chefe no DOPS)