Fazendo um longa história o mais curta possível:




 
     
Ser fabricante de equipamentos de radiocomunicalção, era alguém muito visado pelo regime militar.
Qualquer "salvador da pátria", pelas razões mais mesquinhas fazia úma Denúncia no DOPS e era o quanto bastava para ter dores de cabeça e cair não mão de bandidos, que atuavam lá dentro do DOPS.


                

Um delegado do DOPS, que também era agente do SNI (Serviço Nacional de Informações) que certamente tinha acesso ao FICHÁRIO DO DOPS, conhecia o atual Anistiado, e achou que era a sua chance para um "almoço gratis".
Começou a chantagear o Anistiado, fazendo uma investigação por sua conta sobre os equipamentos de radiocomunicação fornecidos ao Governo João Goulart.

A uma certa altura o Delegado do DOPS e Agente do SNI. Wilson Oacyl Bodstein, a título de interrogar, prendeu o Anistiado e se apoderou dos pertences do Anistiado, que tinha a chave do seu carro, um Corcel com 4 mil quilômetros. (isso ocorreu no ano de 1972)
Esse carro sumiu, e ninguém duvidaria de um Delegado do DOPS, Agente do SNI, Escola Superior de Guerra e uma porção de títulos.

Não obstante, o delegado Bodstein cometeu um deslize, reconhecendo o 'Recibo de Compra e Venda' do veículo nun Cartório onde o Anistiado não tinha firma.

O Anistiado foi ao SNI com os documentos abaixo e uma queixa contra o delegado Bodstein.

Confira as datas dos 2 documentos:  23 de outubro de 1972  e  21 de novembro de 1972.
Em menos de 1 mêz o delegado foi exonerado do SNI e não foi readmitido no DOPS, ficando em "Disponibilidade" e mais tarde foi para Inquérito Administrativo.

Esse Corcel foi uma fração mínima do que o Anistiado foi ROUBADO na Comissão de Anistia Política-MJ.





     

      
                                                                       Coronel Edmundo Adolpho Murgel ----  Chefe do SNI no Rio de Janeiro.